whatsapp-logo-icone.png

publicidade

LISTA: 5 piores séries de 2021

OPINIÃO: Se você quer passar longe de clichês, narrativas batidas, sem graça e personagens irritantes, fuja dessas séries.


O mês de dezembro chegou, mês de celebração, mês de celebrar o que tivemos de melhor e como nem tudo são flores, o que tivemos de pior, pra que não caiamos no mesmo erro. Claro que essa lista é muito relativa, algumas das séries a seguir tem milhões de apreciadores ao redor do mundo, não quero depreciar nenhuma obra e nem nada parecido, diríamos que essa é uma lista com as séries mais fracas, menos inspiradas, repetitivas, verdadeiros caça-níqueis e por ai vai, enfim, se você puder fugir dessas séries, eu sugiro, conselho de amigo, mas não fique chateado, sexta a gente celebra o que tivemos de melhor, beleza?

Cuidado, spoilers!


5. Clickbait (minissérie)

Clickbait (minissérie) | Em cena: Nick Brewer (Adrian Grenier)

Só os roteiristas mais tolos fariam uma coisa assim, para começar a minissérie já abre com a personagem mais insuportável possível, Pia com uma atuação total over de Zoe Kazan, segue então apresentando os personagens e suspeitos do assassinato de Nick Brewer (Adrian Grenier), a esposa que é sonsa, os filhos, dois boca-aberta, o repórter que não faz o menor sentido na trama, o policial bocó e o verdadeiro assassino que só me fez pensar: pelo amor de Deus. A Netflix precisa de roteiros melhores para ontem.


4. Cobra Kai (3ª temporada)

Cobra Kai | Em cena: Robby Keene (Tanner Buchaman), Johnny (William Zabka) e Miguel (Xolo Maridueña)

O contrato com a Netflix parece que não fez muito bem para essa série que já era ruim como um todo, os mesmos problemas das temporadas anteriores se fortalecem aqui, roteiro pífio de dar vergonha por causa das muitas e esdrúxulas coincidências, os atores conseguiram ficar ainda piores, caras e bocas que nem os atores da Malhação fazem.

O que me deixa feliz é que a série não vai sobreviver para sempre, já que cedo ou tarde, as "inspirações" - que são os filmes originais do Karatê Kid - logo vão acabar, estou até agora digerindo aquele último episódio, que horror!


3. Elite (4ª temporada)

Elite (4ª temporada) | Em cena: Samuel (Itzan Escamilla) e Guzman (Miguel Bernardeau)

O pior da série não é o fato de ela ser descaradamente ruim e sim porque ela subestima o espectador, incontáveis furos no roteiro e coincidências das mais absurdas possíveis. Por exemplo: Las Encinas fica em Madri, uma cidade gigante, mas em todas as festas - e sim, tem festa todo dia na série – Omar (Omar Ayuso) e Samu (Itzan Escamilla) são os garçons, o caso do início não dá liga suficiente com os outros personagens e cá pra nós, avacalharam nos novos personagens, Patrick (Manu Rios) apenas para causar tumultuo na relação de Ander (Arón Piper) e Omar, se ele não existisse não faria a menor diferença e não, as cenas de sexo a três não compensam, Ari (Carla Diaz), Guzman (Miguel Bernardeau) e Samu no típico chove e não molha e estou até agora me perguntando por qual motivo enfiaram aquele príncipe ali, um total inútil, se era pra falar de agressão às mulheres, poderiam ter feito melhor, bom nenhuma novidade, pelo quarto ano, um das piores séries do ano, mas eu continuo assistindo, vai entender.


2. La Casa de Papel (5ª temporada)

La Casa de Papel (5ª temporada)

Sinceramente, essa série é igual o governo do Bolsonaro, sabe que é uma titica e se continuar vai piorar o que já é um ruim, mesmo assim insiste em enfiar goela abaixo uma narrativa forçada, onde nada faz sentido, não tem graça, qualquer carisma que os personagens um dia tiveram, agora já não existe mais.


Ao que tudo indica a série finalmente foi cancelada pela Netflix e o orçamento poderá ser usado para uma produção melhor, ao menos a chata da Tokyo (Úrsula Corberó) morreu, espero nunca mais ver aquela atuação em toda minha vida.


1.You (3ª temporada)

Em cena: Joe (Penn Badgley) e Love (Victoria Pedretti)

You é uma daquelas séries que precisa de certa paciência porque ela é enrolada, seguir os passos de Joe pode ser um verdadeiro martírio, ainda mais na atual situação da série, que nosso protagonista achou sua “alma gêmea” que é tão irritante quanto ele.

A série dá voltas intermináveis, não consegue caminhar sem cair, episódio após episódios, nas próprias armadilhas. As paixões repentinas de Joe (Penn Badgley), até os assassinatos sem pé nem cabeça, é aquela série que não engata nunca, que tenta te prender com uma historinha boba, personagens rasos, saídas fáceis e nem as atuações corretas ajudam. Isso sem falar na narração intragável do protagonista, sinceramente, precisa ser um pouco sadomasoquista para continuar assistindo essa série.