top of page
whatsapp-logo-icone.png

publicidade

Uma escolha nada difícil:

Nosso primeiro editorial.

Quando o Estado Democrático e de Direito é atacado, a escolha nunca é difícil. Todos sabemos que devemos gritar o mais alto que pudermos para que as atenções se voltem para os pontos incompatíveis com uma sociedade democrática.


Nos últimos dias o Brasil tem assistido a um momento ímpar em nossa história. Desde a redemocratização não há uma movimentação tão significativa na cúpula das forças armadas, e isso, vale citar, nos fez, por um momento, pausar todos os preparativos para o lançamento desse portal informativo para pensarmos em todas as consequências possíveis de um eventual levante contra a democracia.


Não nos cabe fantasiar sobre o tamanho da nossa coragem, qualquer pessoa minimamente informada sobre todos os excessos presentes em regimes autoritários, teme por sua vida, por sua família, por seus amigos, pela sociedade, pela economia popular e pela história do país, que fica profundamente maculada nesses momentos de escalada autoritária.


Com a responsabilidade coletiva que carregamos nesse projeto, tivemos que conversar, apurar, refletir e calcular muito bem todos os riscos envolvidos na escolha de montar um veículo de comunicação em um período histórico delicado como o período que atravessamos atualmente. Ainda assim, a escolha não foi nada difícil, assim como não é difícil escolher de qual lado seguir.


Um país acostumado a sofrer com as consequências da brutal desigualdade social - herança de séculos de escravidão e benesses para as classes mais abastadas - e enfraquecido pelas recorrentes reformas que têm sido impostas por uma classe política autodenominada “ala liberal”, o Brasil há um ano sofre com uma pandemia de dimensões assustadoras e, ainda, incalculáveis. Com uma das piores gestões da pandemia no mundo, o Brasil assiste seus cidadãos sufocarem sem ar, sem UTI e sem anestésicos para intubação; diferente do mundo, o Brasil viu a 2ª onda da pandemia de Covid-19 surgir, com o tamanho de um tsunami, antes mesmo da primeira onda passar. E tudo isso, porque nem um mínimo auxílio alimentar tem sido oferecido pelos governos municipais, estaduais e federal para garantir que as pessoas possam fazer o devido isolamento, sem que para se proteger da doença precise morrer de fome. A inação do poder público e a ganância de boa parte do setor privado, são fatores que contribuem para o agravamento da crise econômica que assola as camadas sociais mais vulneráveis. Não tínhamos como nos furtar da responsabilidade de denunciar e repercutir essa fase.


Dossiê é a tradução do termo francês dossier. Uma palavra utilizada para se referir a um conjunto de docum