whatsapp-logo-icone.png

publicidade

Lista: 5 séries dos anos 2010

O que há de melhor na década de ouro da televisão americana.

Breaking Bad (2008-2013) | Em cena: Walter White (Bryan Cranston)

O mundo parava para assistir semanalmente algumas das séries da lista a seguir. Foram verdadeiros fenômenos da audiência, sucessos de crítica e algumas delas marcaram como verdadeiros fenômenos culturais. Fazer uma lista como esse é uma tarefa muito difícil, porque precisamos, de alguma forma, deixar nosso gosto pessoal de lado e focar no que “realmente é bom” — por isso, Looking (HBOMax), Girls (HBOMax) e True Blood(HBOMax) não estão inclusas na lista, a primeira série original Netflix, House of Cards é outra que ficou de fora, infelizmente a série terminou da pior forma possível, por conta do escândalo envolvendo Kevin Spacey e The Handmaid’s Tale (Globoplay) não entrou por falta de espaço, como eu disse, é uma tarefa árdua, já que temos muita série boa e pouco espaço, se nos anos 90 era razoável falar em TOP 5, em 2010 precisaríamos de um TOP 25 para sermos justos. Agora sem mais enrolação, veja a lista e prepara o feriadão de frio para maratonar essas delícias.

5. Game of Thrones (2011-2019)

Criada por D.B Weiss e David Benioff

Game of Thrones (2011-2019)

O maior fenômeno da lista, com muita tranquilidade, semana após semana, centenas de milhões de pessoas ligaram a televisão no domingo as 22hrs para se envolver, se deliciar, se deleitar, ficar chocado com as incontáveis surpresas, ou, para passar raiva com o final – pois é, muita gente acha que série terminou da pior forma, eu não.


A série se apoiava na criação de George R.R. Martin e sua obra “As Crônicas de Gelo e de Fogo” e mesclava fantasia com romance, aventura, guerra e mais um pouco de tudo, uma combinação perfeita e, não por menos, é a série mais premiada da história da televisão americana.

A Guerra dos Tronos se passa em Westeros, um mundo fictício dividido em sete reinos e mostra uma porção de casas, alianças e guerras, conflito entre famílias nobres e dinastias, seja competindo pelo maior posto do reino, o trono, ou por sua independência.


Onde assistir: HBO Max


4. The Good Wife (2009-2016)

Criado por Roberto e Michelle King

The Good Wife (2009-2016) | Em cena: Alicia Florrick (Juliana Margulies)

O último sucesso de um gênero que, infelizmente, está cada vez mais escasso, as séries sobre o sistema jurídico americano, também uma das últimas séries da televisão aberta (CBS) que teve algum êxito entre crítica e público, sem mencionar as indicações e vitórias no prêmio da Academia de Televisão.

O escândalo de corrupção afeta por demais os dias de Alicia Florrick (Juliana Margulies), que acaba por colocar seu marido na cadeia, agora Alicia precisa voltar trabalhar, ela que em outros tempos era uma advogada brilhante, agora precisa começar do zero, para isso ela é contratada por Will Gardner (Josh Charles) um dos sócios majoritários de um escritório de advocacia.


Onde assistir: Paramount Plus

3. The Killing US (2011-2014)

Criada por Veena Sud

The Killing US (2011-2014) | Em cena: Stephen Holder (Joel Kinnaman) e Sarah Linden (Meirelle Enos)
“Quem matou Rosie Larsen?”

O assassinato da pequena Rosie Larsen é o foco da série, mas não se engane achando que essa é só mais uma série de investigação policial, situada em Seattle – uma das cidades mais chuvosas do planeta, esse detalhe é muito importante.


A família Larsen está aos prantos por conta do misterioso assassinato de sua filha adolescente, para investigar o caso, Sarah Linden (Meirelle Enos) é designada, mas ela está de mudança para outra cidade afim de passar mais tempo com seu filho.


Por conta de fantasmas do passado, ela não consegue se mudar e fica para investigar o assassinato, junto dela Stephen Holder (Joel Kinnaman), seu parceiro com jeito de malandro.

A série é inspirada na premiada produção dinamarquesa “Forbrydelsen”, a versão americana ficou conhecida como a “série de sete vidas” porque ela foi cancelada depois da segunda temporada, mas, mesmo com a baixa audiência, a crítica conseguiu uma terceira e última temporada, só que não, já que a Netflix reviveu a série para uma então, quarta temporada.


Onde assistir: Star Plus


2. The Leftovers (2014-2017)

Criada por Damon Lindelof

The Leftovers (2014-2017) | Em cena: Nora Dusnt (Carrie Coon) e Kevin Garvey (Justin Theroux)

O mundo mudou, assim, de um minuto para o outro, 2% da população simplesmente sumiu, desapareceu, sem deixar rastro, já era – para onde elas foram? elas morrem? elas voltaram? – ninguém sabe e nem nunca vai saber – essa é a ideia principal da série, mostrar como vive a população que ficou na terra, os 98% “deixados para trás” continuaram com suas vidas.


Kevin Garvey (Justin Theroux) é o xerife da cidade, sua esposa foi uma das pessoas que desapareceram. Nora Dusnt (Carrie Coon) perdeu toda sua família; Matt Jamison (Chris Eccleston) é um religioso que prega que aquilo foi obra de Deus e que a Terra se transformou em um purgatório. O cenário está pronto.

O que você precisa saber, caso vá assistir essa obra-prima da televisão, é que ela não responde nenhuma das muitas perguntas que levanta, ela não tem essa intenção e é justamente isso que faz ela ser maravilhosa, os dramas dos personagens são tão poderosos que, em algum momento, você vai esquecer dessas questões.


Onde assistir: HBO Max


1. Breaking Bad (2008-2013)

Criado por Vince Gilliam

Breaking Bad (2008-2013) | Em cena: Jesse Pinkman (Aaron Paul) e Walter White (Bryan Cranston)

O professor de química do ensino médio, Walter White (Bryan Cranston), acha que sua vida não pode piorar, ele acaba de descobrir que está com câncer em estado terminal. Diante disso, o professor acha que pode ligar aquele botão que todo mundo que ligar. Para não deixar sua família desamparada, ele decide arriscar tudo para ganhar dinheiro e para isso ele se junta ao seu ex-aluno problemático, Jesse Pinkman (Aaron Paul), para fabricar metanfetamina da boa.

O sucesso da série tem justificativa, é uma daquelas séries que cresce cada episódio e ao final da série, estávamos diante de uma obra que, poderia ser classificada com uma das maiores obras do audiovisual já feitas em qualquer parte do mundo. E eu não estou exagerando, sucesso de audiência, sucesso de público e imensamente premiada, essa talvez seja a série que melhor define a televisão como “arte” – se não assistiu, só lamento, mas ainda está em tempo.


Onde assistir: Netflix

publicidade

Para conhecer nosso posicionamento editorial, clique aqui.

Para conhecer nossas formas de expressão, clique aqui.

Para assinar e contribuir com o nosso conteúdo, clique aqui.