whatsapp-logo-icone.png

publicidade

LISTA: 5 melhores intérpretes brasileiros da atualidade

O cinema nacional é uma caixinha que sempre nos dá gratas surpresas. E nessa festa, a cereja do bolo fica por conta dos nossos atores e atrizes. Confira essa lista: 5 melhores intérpretes da atualidade...

O Filme da Minha Vida (Selton Mello, 2017) | Em cena: O misteriosos, Paco (Selton Mello)

Os nossos atores e atrizes tem muito potencial, como em qualquer lugar do mundo, eles só precisam de um bom roteiro e o personagem certo para que eles brilhem, proclamem seu texto e deixem o seu melhor gritar.


O público aprendeu apreciar os nossos atores e atrizes para além do que já somos acostumados na televisão, não que interpretar na televisão seja uma tarefa mais fácil, mas sim, no cinema é outra coisa, nas últimas semanas contamos a história dos nossos interpretes, relembramos alguns dos personagens mais marcantes, movimentos cinematográficos e por ai vai, são inúmeros nomes, eu poderia ficar horas listando, mas separei o que eu acho de melhor, lembrando que amanhã vai ao ar o último episódio do “A Cara do Cinema Nacional” com os nomes mais premiados do mundo, sem mais delongas, segue a lista.


5. Selton Mello

O Auto da Compadecida (Guel Arraes, 1999) | Em cena: Os inesquecíveis, Chicó (Selton Mello) e João Grilo (Matheus Nachtergaele)

O nome mais famoso da lista, mas Mello antes de se jogar no cinema, traçou um caminho brilhante na televisão, desde criança ele nos brindou com suas performances.


No cinema ficou ainda mais próximo do público com O Auto da Compadecida (Guel Arraes, 1999), sua versatilidade lhe garantiu personagens mais excêntricos como o Lourenço de O Cheiro do Ralo (Heitor Dhalia, 2006) e até personagens reais, como o rebelde João Guilherme em Meu Nome Não é Johnny (Mauro Lima, 2008).


Atualmente com um folhetim no ar, Nos Tempos do Imperador (Globo, 2021), Mello tem se destacado mesmo quando ataca como diretor de seus próprios filmes O Palhaço (2011) e o mais recente O Filme da Minha Vida (2017).

4. Maeve Jinkings

Amor, Plástico e Barulho | Em cena: Patrícia (Jennyfer Caldas) e Jaqueline (Maeve Jinkings)

O que você precisa saber de Maeve, é que, ela é uma das maiores e mais promissoras atrizes que o cinema brasileiro nos revelou nos últimos anos.


Se tornou parceira do diretor Kleber Mendonça Filho, com dois trabalhos: ela está especialmente bem em O Som ao Redor (2012), filme aclamado pela crítica, e repetiu a parceria com Aquarius (2016), mas, antes dessa parceria acontecer ela já mostrou ao que veio em Falsa Loura (Carlos Reichenbach, 2007) – o que importa mesmo é que precisamos ficar atentos aos futuros trabalhos dela.


3. Leandra Leal

O Lobo Atrás da Porta (Fernando Coimbra, 2013) | Em cena: Rosa (Leandra Leal) e Bernardo (Milhem Cortaz)

O rosto dela é conhecido por muitos desde Senhora do Destino (Globo, 2004) e agora em Império (2014) reprisado na Globo – parceira de Aguinaldo Silva, mas que sempre brilhou no cinema e isso já faz muito tempo.


Leandra Leal, sempre mostrando uma aura inconfundível, teve seu melhor trabalho no filme O Lobo Atrás da Porta (Fernando Coimbra, 2013) um filmaço, que logo mais terá uma análise mais profunda aqui no site.


A atriz também participou de outros sucessos, Bingo – O Rei das Manhas (Daniel Rezende, 2017) e ela, assim como Selton Mello, também decidiu ir para trás das câmeras e dirigir, seu filme de estreia foi Divinas Divas (2016), um doc lindo sobre a primeira geração de artistas travestis, que se apresentavam nos tempos áureos da Cinelândia, no Rio de Janeiro. Olho nela!

.

2. Irandhir Santos

O Animal Cordial (Gabriela Amaral Almeida, 2017) | Em cena: O cozinheiro Djair (Irandhir Santos)

O nome do cinema, a cara do cinema e a prova de que o cinema nacional às vezes pode ser muito difícil.


Irandhir é majoritariamente um ator de cinema que sempre “torceu o pescoço” para a televisão, mas que, nos últimos anos, acabou aceitando personagens no horário nobre. Chegou chegando.


No cinema ele sempre brilhou e fez inúmeros trabalhos. Como esquecer se sua atuação fenomenal como Djair de O Animal Cordial (Gabriela Amaral Almeida, 2017) ou Clécio de Tatuagem (Hilton Lacerda, 2013) – sempre trabalhando com os melhores diretores de nossas terras, fez dois filmes de Kleber Mendonça Filho e conquistou papeis nos filmes de Hilton Lacerda.


1. João Miguel

Cinema, Aspirinas e Urubus (Marcelo Gomes, 2005) | Em cena: Ranulpho (João Miguel) e Johann (Peter Ketnath)

O autêntico ator que nasceu para dar o ar de sua graça nas telonas e não abre mão disso. Ciente de suas condições, o ator não é nenhum galã enquadrado nos padrões de beleza comercial impostos pela indústria, mas que tem talento de sobra como ator. João Miguel já nos brindou com grandes papeis e uma das melhores atuações da história do nosso cinema, com seu papel Raimundo Nonato, um cozinheiro excêntrico que domina o filme Estômago (Marcos Jorge, 2007).


Na parceria com o diretor Marcelo Gomes, dizem até que João Miguel ajudou no roteiro de Cinema, Aspirinas e Urubus (2005).


São tantos trabalhos que não dá para contar, mas uma certeza existe, João Miguel, mesmo que faça poucos trabalhos — e essa parece ser uma característica especifica dos bons atores — é o melhor ator do nosso cinema e ao final de cada obra em que atua, deixa em nós um gostinho de “quero mais”.