whatsapp-logo-icone.png

publicidade

LISTA: 5 filmes com humor ácido

Como lidar com piadas ácidas em cima de temas complexos e desconfortantes, o cinema sabe fazer isso como nenhuma outra arte.

Dr. Fantástico (Stanley Kubrick, 1964) | Em cena: Dr Strangelove (Peter Sellers)

Para quem não aguentava mais de saudades das nossas listas de sexta-feira e precisava de inspiração para escolher o que assistir, estamos de volta com a primeira lista do ano. E para marcar essa volta, que tal um pouco de humor ácido?


Humor ácido é um subgênero que usa temas complexos, mórbidos, sérios e tabus para produzir humor, assim, humor ácido é muitas vezes empregado para causar desconforto, chocar e especialmente para provocar reflexões. No cinema esse é um subgênero muito usado, afinal de contas, usar imagens com piadas ácidas é uma arte, sem mais delongas, bora pra nossa primeira lista de 2022.


5. Dr. Fantástico (Stanley Kubrick, 1964)

Dr. Fantástico (Stanley Kubrick, 1964) | Em cena: Dr Strangelove (Peter Sellers)

O mundo sempre fica em pânico quando a palavra “guerra” é pronunciada, não é para menos, nosso histórico de guerras é cruel, mas lá atrás, no auge da guerra fria, Stanley Kubrick estava prestes a filmar um drama sério, mas decidiu transformar o filme em uma comédia de humor ácido.


No filme ele debocha sobre o medo insano da ameaça nuclear iminente, devido ao clima insano entre os EUA e a União Soviética. No filme, um general norte-americano, Peter Sellers – em uma das melhores interpretações da história do cinema – fica maluco e arma um plano para iniciar a guerra nuclear, é então que as autoridades dos dois lados têm que se unir para impedir um avião-bombardeiro de lançar uma bomba nuclear na Rússia, o que seria o fim do mundo.


Onde assistir: YouTube Filmes


4. Deus da Carnificina (Roman Polanski, 2011)

Deus da Carnificina (Roman Polanski, 2011) | Em cena: Nancy Cowan (Kete Winslet)

O mais engraçado dos filmes de Roman Polanski, impressiona o que quatro atores em um apartamento podem fazer e o que poderia se resolver rapidamente, se torna uma discussão insana, com ataques de fúria e altas doses de risadas.


Claro que isso não seria nada sem esse elenco, especialmente por parte de Kate Winslet - que por si só, já é uma força da natureza, que mulher! - a cena do vômito e das tulipas é sensacional, impossível não dar risada com isso ou com os ataques de loucura de Jodie Foster, que filme, que filme.


Onde assistir: Belas Artes à La Carte


3. Na Mira do Chefe (Martin McDonaugh, 2008)

Na Mira do Chefe (Martin McDonaugh, 2008) | Em cena: Ken (Brendan Gleeson) e Ray (Colin Farrell)

O primeiro sucesso comercial de Martin McDonaugh chegou de fininho, conseguiu três indicações ao Globo de Ouro em Melhor Comédia e ganhou Melhor Ator Comédia (Colin Farrell), além de abocanhar uma indicação ao Oscar de melhor roteiro original e, de fato, é um dos filmes mais originais da década passada.


O filme conta a história de dois assassinos, Ray (Colin Farrell) e Ken (Brendan Gleeson), que estão escondidos em Bruges, na Bélgica, depois que um inocente acabou morto em uma outra missão. Ken não gosta da cidade e acaba tendo crises não só com a cidade em si, como com os moradores e turistas.


Onde assistir: HBOMax


2. Relatos Selvagens (Damián Szifrón, 2014)

Relatos Selvagens (Damián Szifrón, 2014) | Em cena: Romina (Érica Rivas)

O sucesso do filme em sua primeira apresentação no Festival de Cannes, 2014, anunciava que estávamos diante de uma das melhores comédias daquele ano.


O filme tem uma histórico muito peculiar. Aqui no Brasil, foi o segundo filme a ficar mais tempo em cartaz na história – ficando atrás apenas de “Medos Privados em Lugares Públicos”, de Alain Resnais -, não é pra menos, são seis histórias que têm em comum o humor ácido, que nos faz rir com a desgraça alheia, da vingança no avião à noiva em fúria, não há como não se divertir, ou melhor, não chorar de rir com as sequências insanas.


Onde assistir: Globo Play


1. Fargo – Uma Comédia de Erros (Ethan e Joel Coen, 1997)

Fargo – Uma Comédia de Erros (Ethan e Joel Coen, 1997) | Em cena: Marge Gunderson (Frances McDormand)

Fargo continua – na minha humilde opinião – sendo o melhor filme dos Coen. Vencedor de 2 Oscars – melhor roteiro original, o primeiro dos Coen – e melhor atriz, o primeiro de Frances McDormand.


O filme gira em torno de Jerry Lundergaard (William H. Macy), um gerente de uma revendedora de automóveis à beira da falência e decide forjar o sequestro de sua esposa, fazendo um acordo com dois marginais, Gaear Grimsrud (Peter Stomar) e Carl Showalter (Seteve Buscemi), mas uma série de imprevistos leva a um triplo assassinato. Uma chefe de polícia grávida - Frances McDormand - tenta elucidar o caso, que continua a provocar mais e mais mortes, é uma obra-prima divertida e cruel.


Onde assistir: Globo Play

publicidade

Para conhecer nosso posicionamento editorial, clique aqui.

Para conhecer nossas formas de expressão, clique aqui.

Para assinar e contribuir com o nosso conteúdo, clique aqui.