whatsapp-logo-icone.png

publicidade

Comunista. Você não é, mas querem que você seja

Os estragos da polarização

Os comunistas: Joseph Stalin, Fidel Castro, Lenin, Mao Tsé-tung e Karl Marx | IMAGEM: TOM BURNS_WWW.EVERYTHINGBURNS.COM

Numa sociedade bastante polarizada como a nossa, qualquer ideia ou pensamento que venha a ser diferente, começa a ser combatido. Desejos de uma sociedade mais justa onde a meritocracia não seja a tônica para um desenvolvimento coletivo, promovem indignação a quem pensa diferente. Lógico que os ataques começam e inevitavelmente são recheados de conceitos que se não se encaixam mais nesse capítulo da história, por falta de base, de conhecimento e, pior, lotados de bronca.


Aqui já começa a valer algo que vai um pouco mais além da questão política. Não precisa ser da área para saber que a polarização é sinal de uma sociedade doente e que precisa ser tratada. Afirmam isso vários profissionais, e não só da área da saúde. Profissionais ligados à segurança pública deixam claro que os efeitos disso também interferem e colaboram muito para a criminalidade, com ataques que podem passar do verbal para o físico num tempo muito curto.


Pueril talvez seja uma das explicações para esse modelo polarizado de sociedade. Fica bem próximo dos mecanismos de defesa de bebês, compreensível para a idade, porém incoerente e desastroso quando expresso por pessoas adultas.


Mudam-se as cores das camisetas, das faixas e até dos rostos quando surge algum enfrentamento. Triste realidade que exalta ainda mais os ânimos quando um dos lados tem argumentação plausível e coerente, o que deixa qualquer um com pensamento engessado fora de seu prumo, como se tivesse levado um chute na canela.


É obvio sim que todas as opiniões devem ser respeitadas, mas esse aspecto logo desaparece quando um dos lados prefere trocar argumentos por descaso, desdém e provocações.


Pessoas que buscam uma sociedade mais justa, mais igual e mais responsável com todos, logo são chamadas de comunistas, ou facilitadores para transformar o país naquilo que enxergam de pior no país vizinho.


As pessoas até podem sentir afinidade com alguém que consideram um mito. O que não faz sentido é passar por cima do real significado da palavra, já que ela, na prática, não passa de um mito, um conceito tão claro quanto abstrato.


Chama a atenção também o rótulo de comunista que se transformou em palavra-chave para aqueles que querem encerrar uma discussão argumentada.

Karl Marx (1818 - 1883): Autor do livro "O Capital", é considerado o maior teórico comunista

O comunismo precisa ser visto com mais critério e estudo antes de ser usado como escudo protetor ou espada.


Para se ter uma visão mais abrangente sobre o que é o comunismo, cabe um pouco de base histórica e, também, de religião.


Dentro desses aspectos, temos há séculos duas teorias sobre a existência humana, presentes em estudos, em igrejas, em ciência. Uma delas, o criacionismo, tem origem na literatura bíblica e, a outra, a seleção natural ou darwinismo.


Nesse âmbito, sabe-se que dentro do criacionismo Deus adormeceu Adão, retirou-lhe a costela e cobriu com barro, na linguagem coloquial da época. Hoje, afirma a ciência que adormecer um humano é possível com anestesia, da costela temos as células tronco e fechar uma abertura na carne é o que faz a cirurgia plástica.


Sobre Darwin, sabe-se que muitas pessoas aceitam sua teoria independentemente de terem ou não uma religiosidade. Por outro lado, misturar essas teorias antagônicas pode ser tão incoerente quanto não ter a informação correta sobre o que é comunismo.


Karl Marx chegou à sua filosofia sobre o comunismo tendo como base Charles Darwin. A leitura e estudos sobre seus relatos eram constantes na vida de Marx, inclusive dedicando seu livro, O Capital, a Charles Darwin.


Assim, não se pode isolar uma aceitação da teoria da evolução, dos aspectos comunistas.


Parece não haver sentido conduzir a vida numa crença específica como o darwinismo e, ao mesmo tempo, recusar uma filosofia que surgiu dela. Aderir ou não ao comunismo não apaga o fato de sua origem.


Incoerência é a palavra correta para aqueles que aceitam Darwin e ao mesmo tempo criticam alguém, chamando-o de comunista.


O conceito de comunismo é diferente do que entendem, a presença do comunismo no Brasil é também bastante diferente do que pensam e, buscar uma sociedade mais justa não significa ser vermelho, comunista ou anarquista.


Na teoria de Charles Darwin, as plantas surgiram antes da luz, ficando aí um hiato a ser preenchido com a informação sobre como se dava a fotossíntese. Melhor não se agarrar a uma definição de comunista sem antes entender sua origem e base, para não cometer o erro de pular uma etapa evolutiva que certamente comprometerá o entendimento das coisas, como naturalmente acontece quando se é politicamente superficial.


Defender um mito e todo seu lado abstrato não dá a ninguém o direito de mitificar aspectos importantes da história, transformando-os em fragmentos explicados por supostos gurus, ou, pior ainda, sem explicação.


Uma base concreta voltada a estudos que passam pela história e tudo que ela abrange é o que se espera de uma sociedade, para que siga em busca de justiça social e todo benefício que ela traz a todos.


E, havendo uma polarização, a única forma de dissolvê-la é basear-se no que é concreto, no que é real, no que é história e ciência. Há de chegar o momento em que se possa afirmar a verdade com toda sua clareza, sem que isso ofenda, mas que motive a buscar, sempre, conhecimento.


Eu, em particular, continuo afirmando que a Terra não é redonda. Nosso planeta é sim um esferoide, com seus polos achatados. Também tenho certeza que não é vermelho, só porque explico sua forma de um jeito diferente, como a ciência me ensinou.


publicidade